Pessoas a ler

Lembra-te de mim (4/16)




Viseu, menina, formosa e eterna,
hoje bateu forte a saudade,
hoje mais uma lagrima caiu por ti,
Mulher, senhora, madrinha e minha mãe por quatro efémeros anos.
Em ti vivi mil e uma vidas,
em ti cresci mil e um metros de altura,
em ti ganhei quilometros de profundidade,
em ti construí a maturidade.
Nessa luz no alto da Sé, vi o teu manto de luz de noite,
o teu esplendor de dia.
A tua beleza quando chove no Inverno,
A tua grandeza a florir na primavera.
Os tolos chamam-te cidade das bolachas,
eu chamo-te a cidade dos carroceis, que tanto me fizeram feliz,
a cada rotunda uma aventura.
Viseu, menina, Lembra-te de mim.
Eu nunca me irei esquecer de ti, meu GRANDE amor,
Minha paixão a cada manha,
Meu doce cheiro a beleza em cada paragem de autocarro,
Minha amarga despedida,
Minha saudosa musa,
Minha rota de aventuras,
Tenho Saudades....
De ti não me despeço, mas aguardo com vontade de mil homens apaixonados,
e mil mulheres que amam.

PS: A minha capa ainda cheira a ti meu amor, minha loucura, Viseu, meu grande amor

Sem comentários: